Anúncios

O que fazer em Dublin / Things to do in Dublin: Kilmainham Gaol

Inaugurada em 1796, essa prisão abrigou a maioria das personalidades-chave envolvidas na luta pela independência da Irlanda.

Imagem

Imagem

A Kilmainham Gaol fica na Inchicore Road, próxima à Heuston Station e a entrada para estudante é baratíssima! São apenas 2 euros! Não tem desculpa pra não ir, né? A visita é feita através de um guia local que te conduz pelos corredores e conta toda a história envolvida na época em que a prisão estava em funcionamento. Tudo é tão interessante que você fica com de boca aberta o tempo inteiro. E eu que nem pisquei? rs

A visita guiada leva cerca de 1h e você ainda pode visitar o museu, que também é interessantíssimo.

Vejam as fotos do museu:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

A visita começa na capela da prisão onde o guia te faz uma breve introdução histórica relatando através de fotos e videos. Mega interessante pra que curte história como eu e o Vi. 🙂

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Iniciando a parte histórica, essa prisão foi marcada pela detenção dos principais líderes nacionalistas irlandeses, os quais inclusive foram executados em Kilmainham Gaol.

O século XVIII

Quando Kilmainham Gaol foi inaugurada em 1796, ela era uma das prisões mais modernas da Irlanda. Os prisioneiros eram detidos por roubo, assalto, prostituição e embriaguez. As condições eram precárias. Nos 50 primeiros anos não havia vidro nas janelas e não tinha energia elétrica. Aos detentos era permitido somente uma pequena vela a cada duas semanas. Pão, leite, aveia e sopa estavam entre a refeição listada no cardápio.

The United Irishmen (1798)

O primeiro político a ser preso foi Henry Joy McCracken, líder da rebelião irlandesa, detido em 11 de setembro de 1796. Posteriormente ele foi condenado a enforcamento em praça pública. A “United Irishmen” foi inspirada pela Revolução Francesa e pelos Direitos dos Homens (The Right of Men) de Thomas Paine, cujos objetivos eram transformar a Irlanda em uma república.

O século XIX

Em 1803 outro membro do United Irishmen, Robert Emmet foi detido, acusado de traição ao país. Ele foi detido com sua governanta Anne Devlin. Emmet foi acusado como culpado e foi então executado em público na Thomas Street em setembro de 1803. Anne permaneceu na prisão até 1805.

A Grande Fome (1845 – 1850)

Nos últimos anos do período da Grande Fome houve um aumento passivo no número de prisioneiros dando entrada em Kilmainham Gaol. As pessoas “faziam questão” de serem presas porque estando na cadeia seria garantido receber ao mesmo um pouco de comida. Inspetores penitenciários reportaram sérios problemas de superlotação com cinco detentos por cela sendo que era era designada para somente uma pessoa. Vejam como ela é minúscula:

Imagem

Imagem

Imagem

A ala leste (1861)

A espetacular ala leste, conhecida também como Victorian Wing, promovendo um extra de 96 celas, foi inaugurada em 1862. Durante esse período a prisão era regida pelos princípios do silêncio e da separação. Comunicação entre os prisioneiros era proibida e eles passavam a maior parte do tempo em suas celas. As autoridades da prisão esperavam que os prisioneiros usassem esse tempo para ler a Bíblia e repensar seus crimes.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

O século XX

Foi em 28 de fevereiro de 1910 que a prisão foi fechada mas posteriormente reutilizada para abrigar prisioneiros políticos durante o período de 1916 a 1924.

A proclamação da república da Irlanda (1916)

Na segunda-feira de Páscoa de 1916, grupos do Irish Volunteers (voluntários irlandeses) e do Irish Citizen Army (cidadãos do exército irlandês) tomaram conta do GPO (General Post Office – o correio da O’Connell Street, o qual mencionamos aqui) e de mais alguns prédios estratégicos em Dublin e declararam independência em relação ao Reino Unido. Eles resistiram por cerca de uma semana antes de se entregarem. Kilmainham Gaol foi reaberta para abrigar centenas de homens e mulheres que participaram da ascensão. Entre os dias 3 e 12 de maio de 1916, 14 homens foram executados por fuzilamento na área externa. Existe inclusive um monumento em frente à prisão que representa esses 14 homens assassinados e o local onde aconteciam as execuções está marcado hoje com uma cruz. Notem que não há marcas de tiros na parede pois eles colocavam sacos de areia atrás dos condenados, os quais possuíam um papel branco na altura do coração para facilitar o trabalho dos fuzileiros.

Imagem

Imagem

Um dos líderes do movimento republicano, Joseph Plunkett, um dos 14 homens, teve permissão para se casar com sua noiva, Grace Gifford, conforme seu último pedido antes da execução. A cerimônia ocorreu na capela da prisão a apenas algumas horas antes de Joseph ser executado. A Grace relatou depois que pôde ouvir o barulho dos tiros ao ir embora. No museu você encontra a carta de Joseph para Grace com o pedido de casamento. E quando a Grace estava detida, ela fez a pintura a seguir, chamada de “Mural of a Madonna”.

Imagem

Bom, eu não sei se é só eu e o Vi que amamos esse tipo de passeio mas nós recomendamos pra todo mundo, viu? Juro que não é maçante, muito pelo contrário! A hora passa como um foguete lá dentro. Mais algumas fotos pra vocês ficarem com vontade de ir… Esse é o local onde os líderes republicanos ficaram detidos antes da execução de um por um.

Imagem

A marcação da cruz a seguir fica bem em frente à outra cruz que marca o local das execuções. Essa cruz foi colocada lá para marcar a execução de James Collony, o qual foi condenado à morte por fuzilamento devido à sua participação no movimento republicano. Em 12 de maio de 1916, ele estava ferido e quase morrendo, mas foi transportado por uma ambulância militar que entrou por aquele portão que vocês podem ver na foto. Collony foi levado ao pátio da prisão em uma maca, amarrado a uma cadeira e fuzilado. Seu corpo, junto com os corpos do demais rebeldes, foi jogado em uma vala comum, sem caixão.

Imagem

Essa era a área de trabalho, pode-se dizer assim, onde os prisioneiros ficavam quebrando as pedras. E a área externa também servia para que eles pudessem tomar sol e se exercitar (sempre em silêncio e sem se comunicarem uns com os outros).

Imagem

Imagem

Imagem

Muitos filmes foram gravados em Kilmainham Gaol, sabiam? Dentre eles:

  • In the name of the Father (1993)
  • Michael Collins (1996)
  • The adventures of the young Indiana Jones (2000) – Love’s Sweet Song
  • The wind that shakes the Barley (2006)
  • The Scapist

Kilmainham Gaol
Inchicore Road, Kilmainham, Dublin 8
Abril – Setembro: Diariamente das 09:30 às 18:00 (última entrada às 17:00)
Outubro – Março: Segunda a Sábado: 09:30 às 17:30 (última entrada às 16:30); Domingo: 10:00 às 18:00 (última entrada às 17:00)

Curtiram igual a gente? Então COMPARTILHA, vai? ❤

Anúncios

Etiquetas:, , , ,

19 thoughts on “O que fazer em Dublin / Things to do in Dublin: Kilmainham Gaol

  1. André Julho 1, 2014 às 4:55 pm Reply

    Putz, vi Michael Collins um dia desses o_O
    Eu amo esse tipo de programa nerd. Quando fui a Cuba, fiquei maluco com as ruínas da parte velha da cidade.
    Vou anotar aqui heheheh

    Gostar

    • blogpartiumundo Julho 1, 2014 às 5:16 pm Reply

      Boooa! Vai fazendo um caderninho e coloca as anotações dos lugares imperdíveis! 😉
      Bjoks

      Gostar

  2. Johng425 Julho 2, 2014 às 4:18 am Reply

    I truly enjoy looking at on this web site , it contains superb blog posts. Heavierthanair flying machines are impossible. by Lord Kelvin. ebkckdagkeec

    Gostar

  3. Johne364 Julho 2, 2014 às 4:18 am Reply

    I don’t usually comment but I gotta admit thanks for the post on this great one dbeecgbakeed

    Gostar

  4. […] 4. In the name of the father (Em nome do pai) – 1993 Esse filme é antigo e retrata a década de 1970, mas faz parte dos clássicos irlandeses. A história relata uma atentado a bomba do IRA (Irish Republican Army) em um pub de Guildford, na Inglaterra. O protagonista sendo um jovem rebelde irlandês, Gerry Conlon, foi acusado injustamente e Giuseppe Conlon, pai de Gerry, tenta ajudar o filho e também é condenado, mas pede ajuda à advogada Gareth Peirce, que passa a investigar as irregularidades do caso. E adivinhem onde ele foi gravado? Na Kilmanham Gaol que mencionamos aqui. […]

    Gostar

  5. Michael Collins | fé na jornada. Julho 3, 2014 às 5:52 pm Reply

    […] irlandesa, como a prisão Kilmainham Gaol (que hoje funciona como museu – e você pode vê-la aqui, neste post do pessoal do Partiu Mundo), um lado “romântico” da vida de Michael Collins e algumas estrelas bastante conhecidas (Julia […]

    Gostar

  6. […] é o busto de Michael Collins, bastante famoso aqui no nosso blog. rs Falamos dele no post da Kilmainham Gaol e dos filmes sobre a Irlanda. O busto foi criado por Dick Joynt em […]

    Gostar

  7. […] manter o charme e as características do passado. Os revolucionários que falamos bastante no post da Kilmainham Gaol, Robert Emmet, Wolfe Tone, Daniel O’Connell e Michael Collins estão na lista de […]

    Gostar

  8. […] manter o charme e as características do passado. Os revolucionários que falamos bastante no post da Kilmainham Gaol, Robert Emmet, Wolfe Tone, Daniel O’Connell e Michael Collins estão na lista de […]

    Gostar

  9. […] destruição causada pela Revolta da Páscoa (Easter Rising) em 1916 (falamos sobre ela neste post aqui e pela Guerra Civil de 1922, a maioria das construções desta rua datam a partir de 1920, com […]

    Gostar

  10. […] por Patrick Pearse, no início da Revolta da Páscoa. Falamos um pouco sobre esse evento neste post aqui. A harpa é a mais antigo da Irlanda e, provavelmente data do século XV. Ela é feita de carvalho […]

    Gostar

  11. […] no antigo Royal Hospital Kilmainham, o museu fica bem próximo da Kilmainham Gaol e da Guinness Storehouse […]

    Gostar

  12. #NoFilter Dublin | partiumundo.com Dezembro 17, 2014 às 5:31 pm Reply

    […] Uma das maiores prisões desocupadas na Europa, cobriu alguns dos eventos mais heroicos e trágicos no despertar da Irlanda como uma nação moderna entre as décadas de 1780 à 1920 (fonte). A prisão de Dublin já está aqui no blog em detalhes. Se você quiser conferir, clique aqui. […]

    Gostar

  13. […] por Patrick Pearse, no início da Revolta da Páscoa. Falamos um pouco sobre esse evento neste post aqui. A harpa é a mais antiga da Irlanda e, provavelmente data do século XV. Ela é feita de carvalho […]

    Gostar

  14. […] seu papel no desenvolvimento do nacionalismo irlandês (se você quiser ler mais sobre isso, clique aqui). Os funerais dos líderes patriotas, Charles Stewart Parnell, Michael Collins e Jeremiah […]

    Gostar

  15. […] gratuita na primeira quarta-feira do mês na Irlanda. Já falamos aqui sobre a prisão de Dublin, a Kilmainham Gaol, sobre o Dublin Castle, e finalmente chegou a hora de falar sobre o Casino Marino, um tesouro […]

    Gostar

  16. […] Tudo o que você precisa saber sobre a visita à prisão está neste post aqui. […]

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: