O que fazer em Amsterdã / Things to do in Amsterdam: Anne Frank House museum

Ontem, 27/JAN, foi o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, o qual se refere à uma série de celebrações ao redor do mundo em relação ao Holocausto que ocorreu durante a Segunda Guerra Mundial. Falando nisso, trouxemos hoje a história surpreendente de uma menina alemã que se tornou famosa depois de sua morte, a Anne Frank.

Yesterday, 27/JAN, was the Holocaust Memorial Day which refers to a number of world-wide commemorations of the Holocaust taking place during World War II. Speaking of which, we brought you today the astonishing history of a German girl who became famous after her death, Anne Frank.

anne frank 1
Fonte da foto – edição por partiumundo.com / Photo Source – edition by partiumundo.com

A Holanda passou por coisas horríveis durante a Segunda Guerra Mundial. Anne Frank e sua família, entre muitas pessoas, tiveram que se esconder para evitar a crueldade de Hitler imposta aos judeus. Nós visitamos o lugar onde Anne Frank viveu na clandestinidade e todos os detalhes estão a seguir.

The Netherlands had been through horrible things during World War II. Anne Frank and her family among lots of people went into hiding in order to avoid the cruelty that Hitler imposed on Jews. We visited the place where Anne Frank went into hiding and all details follows.

anne frank 2

A história de Anne Frank – em resumo

Anne Frank (1929 – 1945) era uma jovem judia que se mudou da Alemanha para a Holanda com sua família depois de Hitler e os nazistas chegarem ao poder, tornando a vida cada vez mais difícil para os judeus.

Em 1942, ela e sua família tiveram que se esconder em um apartamento secreto que ficava atrás da empresa de seu pai, mas eles foram descobertos em 1944 e enviados para os campos de concentração.

O pai de Anne, Otto Frank, foi o único membro da família que sobreviveu. Quando retornou à Amsterdã após a sua libertação de Auschwitz, ele se encontrou com Miep Gies, uma das cidadãs holandesas que esconderam Anne Frank, sua família e outros quatro judeus dos nazistas. Ela deu a Otto 5 cadernos e cerca de 300 papéis soltos contendo escritos de Anne.

Otto Frank sabia que Anne queria se tornar uma autora ou jornalista. Ela tinha ainda sido inspirada para editar seu diário para a posteridade depois de ouvir no rádio que o governo holandês pediu às pessoas para manterem diários e cartas que ajudariam a proporcionar um registro de como era a vida sob os nazistas. (fonte)

Anne Frank’s history – in brief

Anne Frank (1929 – 1945) was a young Jewish girl who moved from Germany to the Netherlands with her family after Hitler and the Nazis came to power and made life increasingly difficult for Jews.

In 1942 she and her family went into hiding in a secret apartment behind her father’s business but they were discovered in 1944 and sent to concentration camps.

Anne’s father, Otto Frank, was the only family member who survived. When he returned to Amsterdam following his release from Auschwitz, he met Miep Gies, who was one of the Dutch citizens who hid Anne Frank, her family and four other Jews from the Nazis. She gave Otto 5 notebooks and some 300 loose papers containing Anne’s writing.

Otto Frank knew that Anne wanted to become an author or journalist. She had even been inspired to edit her diary for posterity after hearing on the radio that Dutch government urged people to keep journals & letters that would help provide a record of what life was like under the Nazis. (source)

anne frank 3
Fonte da imagem / Photo source

O anexo secreto está aberto para o público. Fotos não são permitidas, mas eu super concordo com isso! Quando você começa a visitar o lugar onde a família viveu por cerca de 2 anos, a energia fica pesada e você começa a ficar sobrecarregado enquanto você passa de uma sala para outra. É muito triste imaginar o quão difícil era viver sem fazer barulho nenhum! Além disso, todas as janelas eram cobertas por um tecido preto, a fim de evitar qualquer suspeita. Você já pensou em viver por 2 anos sem ver a luz do dia?

The secret annex is open for the public. Photos are not allowed but I truly agree with that! When you start visiting the place where they lived for about 2 years, the energy becomes heavy & you start getting overwhelmed whilst you go from one room to another. It’s really sad to imagine how hard was to live making no noise at all! Besides, all the windows were covered by a black fabric in order to avoid any suspicious. Have you thought about living for 2 years without seeing the daylight?

anne frank 4

Durante a sua visita, além de ver os cômodos, há um museu onde você pode conferir os cadernos de Anne e também alguns papéis soltos. É inacreditável! Como poderia uma menina escrever essas coisas? Até seu pai disse que percebeu que ele não conhecia sua própria filha.

During your visit, besides seeing the rooms, there’s a museum where you can check Anne’s notebooks and also some loose papers. It’s incredible! How could a little girl write those things? Even her father said he realized he didn’t know her own daughter.

Via www.blurrent.com
Fonte da imagem / Photo Source

Há um alguns vídeos, depoimentos, que você pode assistir ao longo de sua visita. MUITO interessante, por sinal.

There’s a couple of videos, testimonials, you can watch throughout your visit. VERY interesting, by the way.

Quando você sai, você pode comprar qualquer um dos livros de Anne na livraria do museu. Eles estão disponíveis em vários idiomas.

When you leave, you can buy any of her books at the museum’s bookstore. They are available in many languages.

Você pode adquirir os ingressos online, mas se você não fizer isso, tente chegar alguns minutos antes de abrir a fim de evitar mais de 1 hora de espera na fila. Chegamos lá às 9h (quando abre) e levou 15min para entrarmos. Quando saímos, quase na hora do almoço, a fila estava enorme!!! Levaria cerca de 1 hora e meia de espera, eu acho! Então vale a pena acordar um pouco mais cedo! 😉

You can buy the tickets online but if you don’t, try to get there a few minutes before it opens in order to avoid more than 1 hour waiting on the queue. We arrived there at 9am (when it opens) and it took us 15min to get in. When we left, around luchtime, the queue was huge!!! It would take about 1 hour and a half waiting, I guess! So it’s worth waking up a little bit early! 😉

anne frank 6

Para mais informações, como horários de funcionamento e preços dos ingressos, visite o site oficial da Casa de Anne Frank.

For further information such as opening hours and ticket prices, visit Anne Frank’s House official website.

Confira o vídeo abaixo sobre o Anexo Secreto.

Check out the following video about the Secret Annex.


“Apesar de tudo, eu ainda acredito que as pessoas são realmente boas de coração.” – Anne Frank (1929 – 1945)

“In spite of everything, I still believe people are really good at heart.” – Anne Frank (1929 – 1945)


Eu não li o livro ainda, mas está definitivamente na minha lista. E vocês, gente? Eu adoraria saber a opinião de vocês sobre a história dela.

I didn’t read the book yet but it’s def on my list. What about you, guys? I’d love to know your thoughts about her history.

Clique aqui para ver todos os outros posts sobre a Holanda.

Click here to see all posts about the Netherlands.

Posted by

Somos um casal apaixonado por viagens. Além disso, adoramos compartilhar nossas aventuras e o nosso dia-a-dia também. É exatamente sobre tudo isso que falamos no nosso blog partiumundo.com, o qual convidamos a todos a darem uma conferida, pois é lá que vocês encontrarão dicas para viagens de uma forma geral. Sejam bem vindos e esperamos receber feedback de vocês. Beijos carinhosos, Carolina e Victor.

22 thoughts on “O que fazer em Amsterdã / Things to do in Amsterdam: Anne Frank House museum

  1. Sugiro que sigam a ordem: 1) Ler o livro 2) Assistir o filme 3)Visitar a casa/museu em Amsterdam. Pois eu visitei a casa sem fazer os itens 1 e 2 e me arrependo, já não pude captar tudo que existia de informações. Fotos são proibidas.

    1. Oi Claudinei
      Sim, concordamos! Ler o livro e assistir o filme antes de ir faz bastante diferença. Mas pra quem vai e ainda não fez nenhum dos dois, não devem deixar de visitar o museu de jeito nenhum porque a visita super vale a pena! 🙂

  2. Bela matéria parabéns! Quero indicar um filme ” Filhos da Guerra(2014)
    Filhos Da Guerra (2014)
    sinopse:
    Nos primórdios da Segunda Guerra Mundial, uma assistente social polonesa arquiteta um plano para tentar salvar mais de 2500 crianças judias que moravam em Varsóvia.
    Filme muito lindo, vale a pena cada minuto.
    Abraço!

  3. Olá, vou fazer uma conexão de 9hrs em Amsterdã e gostaria de saber quanto tempo leva para visitar o museu se eu já tiver o ingresso? Obrigada

  4. Olá! estou adorando as dicas de vocês! Tenho uma pergunta, talvez vocês possam me ajudar. Sou um pouco claustrofóbica e tenho medo de passar mal dentro do museu da Anne Frank. É realmente muito apertado lá em cima?

    1. Oi Lara!
      Que bom que está gostando do blog. Ficamos muito felizes! 🙂
      Então, lá é apertadinho sim, principalmente as escadas que são super estreitas.
      Os cômodos são pequenos e todos andam em fila indiana.
      Talvez você se sinta incomodada, mas eu diria que vale a pena tentar, viu? Porque é algo imperdível.
      Mexe com o psicológico da gente mesmo, sabe? Mas é muito interessante a experiência.
      Beijos,
      Carolina Ojeda

  5. Olá , hoje é a primeira vez que estou visitando este blog!!Curti bastante !! Eu li agora nas férias o Diário De Anne Frank , é muito triste porém interessante , tenho uma vontade imensa de conhecer Amsterdam principalmente para visitar o Anexo secreto. Creio que em um futuro breve quando fizer minha tão sonhada viagem , voltarei nesse post para dizer minha experiência (tenho quase certeza de que irei chorar, rsrs). Abraços..

    1. Juuuh, meniiiiina! Acredita que não li o livro ainda? Quero ler em inglês e é meio difícil achar aqui (e caro rs). Saudade da Amazon quando eu morava na Irlanda. rsrs
      Vou ficar aguardando sua visita à Amsterdã com toda certeeezaaa! E quero muito que nos conte como foi! 😉
      Beijos, lindona!
      Carolina Ojeda

Deixar uma resposta